en pt

MAC - prémios MAC

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

2000

1999

1998

1997

Manifestado o interesse em ver criado um instrumento de protecção, valorização e reconhecimento por todos aqueles que produzem e promovem a cultura, o MAC decidiu criar um Prémio anual para distinguir os exemplos mais notáveis de formas de expressão artistica, reconhcendo não só a obra e o artista, mas igualmente, instituções e agentes que promovem a acção cultural, e todos quantos desenvolvem acções de protecção, divulgação ou mecenato. Instituídos pela primeira vez em 1997, os prémios MAC visavam estreitar os laços entre os diversos agentes e práticas artísticas: representações, expressões, conhecimentos e aptidões – bem como os objectos e os espaços que lhes estão associados – instituições, imprensa, grupos ou indivíduos que ao longo do ano mais activamente participaram na produção, promoção e divulgação culturais, enriquecendo a cena artística nacional e internacional, pela salvaguarda do património cultural material e imaterial. Estes prémios passaram a constar do nosso plano de actividades anuais, adquirindo um carácter regular, tendo o MAC chamado à concretização material dos troféus em que estes prémios se traduzem, os mais consagrados nomes da Escultura e Medalhística portuguesas – Professor Escultor João Duarte, Mestre Alberto Gordillo e a Escultora Maria Manuela Madureira. Os Prémios foram, ao longo dos anos, sofrendo alterações mas mantendo sempre o que presidiu à sua fundação: premiar a isenção e a qualidade. A cada ano, damos ênfase em prosseguir uma estratégia global e coordenadora na área da cultura, com predominância nas Artes Plásticas, mas também abrangendo as letras, música e restantes domínios relacionados, trazendo a nós e aos nossos parceiros, a missão de estimular, apoiar e promover artista, instituições e acções que favoreçam o acesso a novas oportunidades. Uma das principais funções dos Prémios MAC traduz-se num particular apelo e co-responsabilização das grandes instituições com impacto a nível cultural, para o indispensável desenvolvimento de uma estratégia coerente, consistente e eficaz, com a obrigação de valorizar a diversidade das iniciativas que se desenvolvem na sociedade e, de igual modo, estimular formas de cooperação entre as diversas entidades que actuam na promoção e divulgação de eventos. Numa centena de artista plásticos com os quais trabalhamos, diversos nomes ressaltam, sendo inúmeros os premiados: Martins Correia, Hilário Teixeira Lopes, Artur Bual, Alberto Gordillo, Aberto Cedron, João Duarte, Matilde Marçal, Luísa Nogueira, Figueiredo Sobral, ou mais recentemente, Roberto Chichorro, Maria João Franco e Nelson Dias que, entre tantos outros, viram com entusiasmo, a sua obra ser por mais que uma vez reconhecida e aplaudida.